PORTALFORRO.NET – Falando em forró: Líbanos e Tropykália, histórias de valor

A pedido dos proprietários  das bandas, que acreditam que o nosso texto apresenta informações errôneas e que não beneficiam a empresa deles (?) a coluna FALANDO EM FORRÓ e o site Portal Forró sentem-se na obrigação de informar que o texto encontra-se riscado e indisponível para a leitura normal no site, mas nunca sem antes esclarecer alguns pontos:

O site é completamente contra qualquer forma de censura e segue uma linha editorial livre e democrática, em sua essência, sem procurar denegrir artistas e empresas, mas se posicionando conforme sua linha editorial e ideologias. O conteúdo honesto, idôneo e crítico são nossos grandes diferenciais na mídia forrozeira, bem como nossa maior arma na luta por um ritmo melhor e de qualidade. A opinião é algo relativo e passível de críticas ou concordâncias, porém apresentada de forma sadia e democrática, não fere os princípios legais de Liberdade de expressão e imprensa assegurados por lei .

Os comentários proferidos em formato opinativo/argumentativo na coluna apresentaram opinões pessoais do autor com o claro objetivo de elogiar as marcas e os artistas que as compõe, dando algumas sugestões e fazendo críticas construtivas que infelizmente não foram bem recebidas. Lamentamos profundamente a incompreensão da empresa nesse episódio a quem, mesmo sendo dada a opção de um direito de resposta no mesmo formato opinativo/argumentativo, foi preferido não fazê-lo, optando por querer retirar o texto, e portanto decidimos cortar quaisquer possibilidade futura de vínculo/parceria divulgacional  para as bandas supracitadas (trabalho gratuito, também desenvolvido pelo site).

O site permanece acreditando nos princípios democráticos,  jornalísticos e de liberdade de expressão aplicados a opiniões sinceras (mas  nunca verdades absolutas!) que formam opinião como forma de fortalecer nosso ritmo e cumprir o papel virtual de divertir, informar e opinar criticamente em favor do ”Legado de Gonzagão” para a cultura nordestina.

Desejamos sucesso absoluto às bandas Líbanos e Forrozão Tropykália e um futuro ainda mais brilhante pela frente em suas carreiras e na forma como lida com a mídia!

Atenciosamente,

Portal Forró

 

 Meados dos anos 2000, as Bandas Líbanos e Tropykália ganharam o forró e o coração dos forrozeiros. Inúmeras formações, programas a nível nacional numa época em que o ritmo sofria total preconceito nas grandes emissoras e álbuns lançados por grandes gravadoras do mercado à época. Foi lá nas cidades de Iguatu e Fortaleza que o sucessos de ambos grupos do mesmo dono, o saudoso Juaci, mostrou grandes nomes para o forró com belas letras, canções e uma estrutura de impressionar os forrozeiros. Basta dizer que o forró das duas trouxe para o mercado nomes como Mara Pavanelly, Carlinhos, Klébia, Suzy Navarro, Juliete, Léo, Marquinhos dentre outros e hoje só nos resta saudades ao ouvir a discografia.

É lamentável observar que, mesmo resistindo bravamente, a Líbanos e a Tropykália amargam juntamente a falta de investimento de seus empresários. A discografia e qualidade do repertório sobreviveram ao tempo, principalmente porque música boa nunca sai de moda mas as mesmas quando pouco valorizadas e reaproveitadas de forma inteligente acabam caindo no esquecida, ainda mais num mercado tão agresssivo em lançamentos como forró.

Atualmente Carlinhos e Klébia ainda cantam perfeitamente os clássicos da Tropykália, bem como a linda Juliete, Léo e Vanessa levam o nome da Líbanos com amor aos forrozeiros em shows restritos praticamente ao ceará. O forrozeiro antigo sente falta de toda a produção que envolvia o nome de ambas, novos lançamentos (ultimamente singles e cds promocionais praticamente viraram lendas) e DVDs inéditos para firmar o nome das bandas.

O forró das duas é lindo, as canções emocionam e o bom conteúdo está ao alcance dos investimentos e da boa vontade dos empresários do grupo. Talvez gastar um pouco seja enxergar mais adiante, um palmo do nariz, e ver que muito pode ser mudado e recuperado. Tenho certeza que os cantores atuais vão corresponder aos estímulos e investimentos com muito talento pois, só pra citar, quem não gostaria de curtir músicas inéditas compostas por Carlinhos ou ouvir a voz grave e marcante de Juliette em um dueto com a irmã de banda Klébia?  As bandas precisam também e um site oficial, divulgação de agenda por uma equipe responsável (e não pelo trabalho incansável dos fãs), nova logomarca e esperar a resposta que com certeza vai ser positiva do público antigo e do novo público que ultimamente se refugia na ostentação ou no cresce sucesso de bandas que estão estourando no ceará com o chamado ”forró de favela”. Fica a dica, as palavras de carinho e respeito aos profissionais que lá estão e a história bonita no romantismo apresentado pelas duas bandas!

Anúncios

Publicado em 12 de abril de 2015, em banda líbanos, coluna falando em forró, forrozão tropykália. Adicione o link aos favoritos. 1 comentário.

  1. este texto são puras verdades. sobre essas bandas que foram antes uma das melhores. os proprietários acham que o texto é um desrespeito, me desculpem é verdade tudo o que está escrito, é que os proprietários perceber que os fãs também merecem respeitos pq tb damos lucros. Respeitar tb é dever . fica aqui meus protestos pq tantas bandas se desfaz e não conseguem se eguer sem poder continuar com as bandas de forro. tantos cantorem fizeram sucessos nessas bandas e pq não continuam?

    Curtir

Comenta!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: